sábado, 3 de janeiro de 2009

Critica do CD/DVD Tá Tudo Mudando

Em seu novo disco, Zé Ramalho corrobora a sua sempre citada aproximação com Bob Dylan. Nesse álbum, encarado pelo Paraibano como uma parceria, e não uma homenagem, Zé viaja pelo cancioneiro de Bob Dylan, trazendo para o português alguns dos clássicos do mestre Dylan.
O interessante nesse projeto é o fato de as versões serem quase que uma tradução das músicas para o português, fato que levou Dylan a autorizar o projeto. Em alguns casos porém, Zé Ramalho adaptou a letras para se encaixarem mais ao cenário brasileiro.
Um exemplo disso é o clássico “Mr. Tamborine Man” que virou “Mr. Pandeiro” em uma linda homenagem á Jackson do Pandeiro. A versão é um dos grandes momentos do disco, com o tradicional ritmo nordestino sendo entoado ao longo da canção, com direito até mesmo a um solo de pandeiro no fim da música. Brilhante!
É certo que os fãs xiitas de Bob Dylan talvez não curtam tanto o disco, pois Zé mexe com um legado histórico que inclui “Blowing in The Wind”, “Like a Rolling Stone” e “ Knockin' on Heaven's Door ”.
Zé Ramalho com a sua voz apocalíptica, junto com a sonoridade nordestina, consegue fazer um disco capaz de surpreender quem espera um mero disco de versões. O novo lançamento é bem mais que isso, é inteligente e empolgante. Uma prova disso é o fato do artista fugir em alguns momentos do óbvio e buscar músicas não tão famosas de Dylan, como o caso de “Man Give Name To All Animals”, que virou “O Homem deu nome a todos os animais”, outro grande destaque do disco.
A única faixa que Zé Ramalho não verteu para o português foi “It Not For You”, mas em compensação recriou a música indo ao extremo no quesito ritmo nordestino.
Outras músicas já conhecidas que também entraram no disco foi “Negro Amor”, com a versão de Caetano Veloso para “It´s All Over Now Baby Blue”, já regravada por diversos artistas como Toni Platão, Paulo Ricardo e Engenheiros do Hawaii, e “Batendo na Porta do Céu” em uma versão um pouco diferente da lançado por Zé Ramalho no seu disco “Antologia Acústica”.
Um disco para ouvir e curtir.

Fonte:
Galeria Musical

3 comentários:

jverdi disse...

Olá, convido a vc e seu leitores a conhecerem meus blogs e minha idéias.
Um grande abraço e um 2009 cheio de sucesso.

http://www.julio-verdi.blogspot.com/

Lúmpem disse...

Zé Ramalho, como sempre, mostra seu talento em mais um disco com excelente qualidade. Sem dúvidas, um dos maiores ( senão o maior) intérprete da música brasileira na atualidade. Seu estilo atemporal faz com que ele nunca perca seu sucesso, nem a admiração de fãs das mais variadas faixas etárias. Zé Ramalho é o melhor!

. disse...

Não sou um fã religioso do Dylan, mas não gostei das adaptações. Toda a beleza poética (e em virtude, sonora) das canções do Bob Dylan foram em suma destruídas em algums músicas. "Batendo na porta do céu" e "Blowin' the wind" são dois fracassos de tradução literal, na minha opinião. Não estou tirando fora o talento do Zé como músico e cantor, mas são apenas traduções e adaptações desnecessárias (aquela tradicional limitação cultural e linguística tupiniquim), que destroem a imagem e o significado dessas músicas.

Videos

Loading...

Quem sou eu